Dona Onorina, agricultora e contadora de histórias

Onorina de Lurdes Meneguetti Bonini Facinn é uma senhora de 77 anos, mãe de cinco filhas, avó de onze netos e tem dois bisnetos. Natural de Santa Maria, ainda bebê foi morar com a família em Faxinal do Soturno, cidade onde viveu até se casar aos 19 anos, com Valdemar, seu falecido marido.

Na infância em Faxinal, junto de seus pais e seus nove irmãos, dedicou-se ao trabalho na lavoura, pelo qual tem paixão e prazer em fazer até hoje. A agricultura e a lavoura sempre estiveram presentes na vida de Dona Onorina, permeando toda sua história. Como ela mesma diz, desde que se conhece por gente, trabalhou e se dedicou às culturas de fumo, trigo e feijão.

Já casada, não demorou muito para que a família Bonini Faccin crescesse. Aos 20 anos, Dona Onorina deu à luz a primogênita da família, Cleusa, seguida das irmãs mais novas, Odete e Marli. Nove anos depois, a família ficou completa com as outras duas filhas, Clarinda e Clarice.

As diversas mudanças de cidade também fazem parte de sua vida, morou em locais como Frederico Westphalen, Bento Gonçalves, cidades de Santa Catarina e Santa Maria, onde reside atualmente. Em cada cantinho do estado por onde ela passou, cultivou diversas histórias e diferentes plantações.

Com tantas idas e vindas, Dona Onorina adquiriu diversas experiências e uma enorme bagagem de histórias que a fazem ser uma pessoa com muito conhecimento e aprendizagem a passar para as pessoas que queiram conhecê-la. Seu olhar e as marcas deixadas pelo tempo traduzem bem o que ela tem para contar.

Texto: Nathalie Martins, acadêmica de Jornalismo