Seu José Oreste

José Oreste Albernaz, 63 anos, é natural de Santa Maria. Após nascer, foi morar em estâncias rurais em São Pedro do Sul, criado na vida do campo, trabalhando desde cedo nas lavouras. Aos oito anos o pai faleceu, “passei a ser o menino homem da família, um pirralho que já tinha minhas obrigações”. Ele trabalhou como pedreiro, carpinteiro, domador de cavalos, posseiro, entre outras profissões.

Sempre gostou de viajar, passou por cidades como Ijuí, Santo Amaro, Catuípe, Espinhoso e cidades além do RS. Tinha um apresso muito grande por esportes, jogou em times de Santa Maria, São Pedro do Sul, e ganhou diversos títulos como jogador de Boxa.  Aproveitou sua juventude com imenso prazer. Ele salienta, ainda, o quão bom era viajar com os amigos, fazendo e animando festas e trabalhando com o que gostava.

Aos 45 anos veio morar em Santa Maria com a sua companheira, com quem ficou junto 22 anos. Seu José, com a chegada da idade, pediu a sua companheira para que o levasse para um Lar de Idosos, pois ambos já estavam com problemas de saúde e precisavam de apoio. A pedido dela, foi levado para o abrigo. A esposa, nesse dia, teve um AVC e veio a falecer dois dias depois.

Seu José, morador do Abrigo há 12 anos, ressalta que mesmo com acontecimentos tristes, perdas e problemas de saúde, não se deixa abalar. Aos 58 anos teve graves problemas de saúde e o médico falou que viria a perder a visão gradativamente. Ele, porém, não desanimou, pegou isso como incentivo para cada vez mais aproveitar a vida ao máximo, sempre com alegria e um sorriso no rosto.

 

Texto: Matheus Fontella, acadêmico de Relações Públicas